segunda-feira, 27 de dezembro de 2010


Agora percebo que quando as partidas são inevitáveis, devemos deixar ir, sem dor, sem apego, apenas deixar ir...guardar o que de mais doce vivemos com essa pessoa e lembrar, quem sabe dar um sorriso doce, saudoso, talvez o coração aperte, uma lágrima escorra, mas este é o ciclo da vida. As pessoas se perdem, se encontram e se perdem de novo!

Vou deixar ir, agora sem dor...sem perguntas, sem querer entender...


"Acostuma-se.. Não que pare de doer, mas que cai no seu entendimento que às vezes perdemos algo e não há solução. No fim você coloca um sorriso no rosto e finge que é sincero, até que a vida o faça realmente ser. Talvez os amores eternos sejam amenos e os intensos, passageiros. É isso."

[Caio F.]

Um comentário:

  1. Tem lá no meu blogue um sorteio,apenas tens que enviar um comentário!

    ResponderExcluir